Imposto de Renda 2022: Saiba como declarar seus investimentos | Imposto de Renda 2022- 4 Mãos

Empreendedores

Imposto de Renda 2022: Saiba como declarar seus investimentos

[avatar]

Jorge Torrez

|

28/10/2021

|

4 min de leitura

|

Voltar

Imposto de Renda 2022
4 min de leitura

Ainda há muitas dúvidas entre investidores iniciantes, se é preciso realmente declarar investimentos no Imposto de Renda 2022 e a partir de que quantia isso é necessário. 

Afinal, ninguém quer ficar devendo à Receita Federal por falta de conhecimento e precisar arcar com multas altíssimas e até reclusão por negligência com impostos.

Para tirar todas as suas dúvidas, escrevemos este artigo com as principais informações do que é necessário e como declarar seus investimentos no Imposto de Renda 2022. Acompanhe!

Primeiramente, quem precisa declarar o IR 2022? 

As regras estabelecidas pelo Governo Federal sobre quem deve declarar Imposto de Renda em 2021 são regidas pelos seguintes critérios:

  • Teve ganhos acima de R$ 28.559,70 em rendimentos tributáveis;
  • Teve recebimentos que totalizam mais de R$ 40 mil em rendimentos isentos e não tributáveis ou que são tributados diretamente na fonte;
  • Tem bens e propriedades com valor total superior a R$ 300 mil;
  • Ganhou capital através de venda de bens que são sujeitos a tributação;
  • Realizou qualquer operação na bolsa de valores ou de mercadorias e futuros;
  • Recebeu uma quantia total bruta anual superior a R$ 142.798,50 em atividades rurais. 

Por que declarar investimentos no IR?

Declarar seus investimentos no IR é essencial para evitar multas e penalidades com a Receita Federal. Fique atento, pois toda operação feita de renda variável exige o preenchimento da Declaração de Imposto de Renda 2022. 

Se certifique de preencher tudo e de forma correta e verídica, já que informações incorretas exigem a formulação de um novo documento ou pode até comprometer o declarante.

Quais investimentos devem ser declarados?

Como dito acima, se você teve rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 no ano de 2020 ou valores não tributáveis superiores a R$ 40 mil ou realizou investimentos na Bolsa, deve declarar todos os investimentos que tenha em carteira no IR. 

Mesmo que grande parte dos ganhos não sofra a incidência de tributos, mesmo assim o contribuinte deve inserir no IR todos os investimentos em carteira em 2020, e isso inclui:

  • Títulos de renda fixa;
  • Fundos de Investimentos;
  • Ações;
  • Mercado Futuro;
  • Fundos Imobiliários;
  • Poupança;
  • ETFs;
  • Criptomoedas;
  • Dentre outros. 

Todos os investimentos devem ser discriminados em campos específicos da Declaração. 

Quais investimentos sofrem incidência de impostos no IR?

Os investimentos que estão sob incidência de impostos no IR são: Tesouro Direto, CDB, RDB, LC e Debêntures, menos as que são incentivadas. 

Os impostos variam de acordo com uma tabela regressiva de alíquota de acordo com o prazo da aplicação:

  • Até 180 dias: 22,5%
  • Entre 181 a 360 dias: 20%
  • Entre 361 a 720 dias: 17,5%
  • Acima de 720 dias: 15%

Os investimentos isentos de tributação são: poupança, LCI e LCA, CRI e CRA, assim como as debêntures incentivadas também. 

Imposto de Renda 2022

Como declarar investimentos no Imposto de Renda 2022? 

Antes de tudo, vale ressaltar que cada categoria de investimento tem uma forma diferente de ser declarada. Com isso, a Receita Federal oferece gratuitamente um manual de preenchimento e o programa IRPF 2021

Veja agora aqui abaixo um passo-a-passo geral de como declarar seus investimentos no IR:

Aba de “Bens e Direitos”

Nessa bata você vai começar registrando todo o saldo de seus investimentos no Imposto de Renda 2022. Eles vão ser registrados nessa aba pois representam todo o seu patrimônio. 

Você deverá preencher com todos os valores investidos até o final do ano-calendário correspondente a declaração. 

Registre todos os investimentos, tanto os tributáveis como não tributáveis. 

Aba de “Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva/definitiva”

Existem duas categorias divididas nessa aba para preenchimento, com os investimentos sujeitos à tributação e os isentos. 

Ao declarar os investimentos tributáveis, na aba “Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva/definitiva”, você vai preencher uma ficha de dados com os informes recebidos da corretora ou banco, assim como o CNPJ da fonte pagadora e o valor do rendimento. 

Para isso, faça a consulta CNPJ da instituição para preencher esses dados. É possível encontrar o CNPJ Banco do Brasil, de outros bancos e instituições com dados completos para preenchimento do informe de rendimentos. 

Aba de “Rendimentos isentos e não tributáveis”

Nessa aba você irá informar os investimentos que não cobram IR e já foram citados anteriormente. 

As informações a serem preenchidas dizem respeito ao valor dos rendimentos, assim como o beneficiário dos títulos, o nome e CNPJ da fonte pagadora. 

Também é necessário preencher os dividendos das ações no campo “Lucros e dividendos recebidos”. 

Quem tenha vendido menos de R$ 20 mil em operações tradicionais na bolsa não precisa declarar lucros. Você deve informar esses dados na aba “Ganhos líquidos em operações no mercado à vista negociados em bolsa de valores” e cada operação deve ser registrada separadamente.

Gostou do artigo? Ficou com alguma dúvida? Aproveite o espaço abaixo e entre em contato com nossos especialistas!

[avatar]

Escrito por

Jorge Torrez

Especialista em pequenos e médios negócios com profundo conhecimento em Marketing Digital. Formado em Administração e MBA em Marketing Digital pela FGV.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NÓS ENCONTRAMOS OS CONTADORES MAIS ADEQUADOS DE ACORDO COM SUA NECESSIDADE

Para trocar de contador ou abrir empresa, basta relatar sua necessidade e nós te conectamos com até 4 orçamentos gratuitamente

Encontrar um contador